Versão para impressão Enviar por E-mail
Save



Biblioteca Nacional de Portugal

Serviço de Atividades Culturais

Campo Grande, 83

1749-081 Lisboa

Portugal

 

 

Informações e marcação de visitas:

Serviço de Relações Públicas

Tel. 217982167 e 217982434
Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar


Eventos próximos


Vítor Ramos: uma trajetória no exílio
EXPOSIÇÃO | 12 dez.'22 - 17 fev. '23 | Inauguração: 17h00 | Sala de Exposições, Piso 1 | Entrada livre

Exposição evocativa de Vítor Ramos, intelectual português cujo espólio integra o Arquivo de Cultura Portuguesa Contemporânea. Professor, ensaísta e tradutor, Vitor Ramos estudou literatura francesa, em Paris, na Sorbonne, foi militante do MUD Juvenil e do Partido Comunista Português. Exilou-se no Brasil, a partir de 1955, onde se doutorou e lecionou em diversas universidades. Mais informações
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Vítor Ramos: uma trajetória no exílio
CONVERSA / COLÓQUIO | 12 dez.'22 | 18h00 | Auditório | Entrada livre

Conversa / Colóquio a propósito da exposição evocativa de Vitor Ramos. Será ainda apresentado o filme «Por parte de pai».  Mais informações
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Ciência e Cultura - Quebrar Fronteiras
SEMINÁRIO | 14 dez.'22 | 17h00 | Sala de Formação | Entrada livre

Na primeira sessão deste Seminário, Moreno Paulon apresentará a sua investigação, "Entre ciência e pseudociência: o caso da histeria", subordinada ao tema da histeria. A organização é de Adelino Cardoso (CHAM - FCSH NOVA).  Mais informações
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Estudos Sobre a Globalização
SEMINÁRIO | 16 dez. '22 | 09h30-19h30 | Auditório | Entrada livre

O Seminário em Estudos sobre a Globalização realiza-se no quadro do Programa de Doutoramento em Estudos sobre a Globalização (PDEG-NOVA FCSH) cujos objetivos são reunir as novas tendências da investigação interessadas na análise das questões globais e estabelecer um quadro interdisciplinar destinado a pensar a globalização, tanto do ponto de vista histórico como a partir do presente. Mais informações em breve

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

De Tutankhamon e Carter à Tutmania e Mumiamania
O Mundo de Tutankhamon, o faraó-menino
CURSO LIVRE | 5 jan. '23 | 17h30-19h30 | Auditório | Entrada livre

O faraó Tutankhamon (1333-1323 a.C.) subiu ao poder ainda criança (com cerca de 8 anos de idade) e morreu antes de completar os 20 anos. Viveu na XVIII Dinastia, no Império Novo, um fascinante período da história do Egito Antigo (...). Importa conhecer de forma mais ou menos detalhada esse mundo para perspetivar corretamente a vida e a morte do faraó-menino, herdeiro de uma dinastia com cerca de 700 anos. Mais informações

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

De Tutankhamon e Carter à Tutmania e Mumiamania
A descoberta do túmulo do rei dourado
CURSO LIVRE | 12 jan. '23 | 17h30-19h30 | Auditório | Entrada livre

A 4 de novembro de 1922, o arqueólogo Howard Carter (1874-1939), trabalhando a expensas de George Edward Stanhope Molyneux Herbert, 5.º Lord de Carnarvon (1866-1923), descobre o início da escadaria que o levaria ao, há muito procurado, túmulo intacto do faraó Tutankhamon. Durante mais de 10 anos, Carter e a sua equipa de arqueólogos recuperaram mais de 5 000 artefactos das várias dependências do túmulo real. Mais informações

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

De Tutankhamon e Carter à Tutmania e Mumiamania
A maldição da múmia: mistério e fascínio
CURSO LIVRE | 19 jan. '23 | 17h30-19h30 | Auditório | Entrada livre

A cobertura mediática dada à abertura do túmulo de Tutankhamon constituiu um momento inusitado de disseminação do conhecimento sobre a grande descoberta arqueológica do Vale dos Reis. Com a morte de Lord Carnarvon, a 5 de abril de 1923, rapidamente se espalhou pelos meios de comunicação a ideia da "maldição da múmia", da "vingança do faraó", que supostamente atingiria todos os que ousassem importunar o sono eterno do faraó. Mais informações

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

De Tutankhamon e Carter à Tutmania e Mumiamania
Expressões da egiptomania num mundo global: a Tutmania
CURSO LIVRE | 26 jan. '23 | 17h30-19h30 | Auditório | Entrada livre

A Tutmania é um fenómeno global da cultura popular que expressa todo o fascínio e admiração que se desenvolveu à volta do faraó Tutankhamon após a descoberta do seu túmulo por Carter e Carnarvon. Embora tudo em torno do faraó, (...), foi a "maldição da múmia", (...), o que mais motivou o desenvolvimento de um enorme entusiasmo e fascínio por esta figura do antigo Egito e a sua veneração por fãs de todos os quadrantes geográfico-culturais. Mais informações

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

De Tutankhamon e Carter à Tutmania e Mumiamania
Expressões da egiptomania num mundo global: a Mumiamania
CURSO LIVRE | 1 fev. '23 | 17h30-19h30 | Auditório | Entrada livre

As múmias são um tópico do fascínio pelo Egipto Antigo, desde o século XVIII até à atualidade, onde se mesclam a curiosidade mórbida e a científica com o apelo dos talismãs, amuletos e efeitos miraculosos. (...) Moldando claramente a apreciação e a compreensão do Egito Antigo, da sua cultura e das suas práticas e produções, a Mumiamania foi e é um importante agente na receção da civilização do Egito Antigo. Mais informações

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .