Versão para impressão Enviar por E-mail
banner_fp_poema_cruz

 

 

Biblioteca Nacional de Portugal

Serviço de Actividades Culturais

Campo Grande, 83

1749-081 Lisboa

Portugal

 

 

Informações

Serviço de Relações Públicas
Tel. 21 798 21 68

Fax 21 798 21 38
Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 

 

 

 

 

 


BNP integra, por doação,

novo autógrafo de Fernando Pessoa

NOTÍCIA | 30 nov. 2015

Passos da Cruz encima a página, datada de 25-7-1914. Trata-se de 2 dos 14 sonetos, o V e VI, que o poeta publicou sob esse título, em 1916, no nº 1 e único de Centauro, revista trimestral de literatura, dirigida por Luís de Montalvor, um dos companheiros de Orpheu que, editado no ano intermédio, deixou marca indelével no modernismo português.

No verso, nas duas metades da folha dobrada, pelo punho de Pessoa e de terceiro não identificado, um poema e um soneto com os primeiros versos «Só, incessante, um som de flauta chora,» e «Floriram por engano as rosas bravas», de Camilo Pessanha. Publicados em Novidades, o primeiro com o título «Ao longe os barcos de flores», a 28-4-1900 e o segundo a 12-10-1899, foram também publicados, ainda que em versão diferente, nesse n.º de Centauro.

Incorporado no Arquivo de Cultura Portuguesa Contemporânea, a 19 de novembro do ano corrente, na Coleção Leonor Pombal, por doação de Albertine Frognier Santos, é parte integrante de Poesie et graphologie: étude sur le graphisme de poètes portugais modernes et contemporaines, reunindo para além deste manuscrito de Fernando Pessoa, mais três dezenas de originais de vários autores de que podem ser exemplo Mário de Sá-Carneiro, Teixeira de Pascoais, António Boto, José Régio, Miguel Torga, Sofia de Melo Breyner Andresen, Natália Correia, David Mourão-Ferreira, Eugénio de Andrade, Ana Hatherly, Herberto Hélder, Rui Belo, Rui Cinatti ou António Ramos Rosa.