Versão para impressão Enviar por E-mail
banner_vitor_s_tavares

 

Biblioteca Nacional de Portugal

Serviço de Actividades Culturais

Campo Grande, 83

1749-081 Lisboa

Portugal

 

 

Informações

Serviço de Relações Públicas
Tel. 21 798 21 68

Fax 21 798 21 38
Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Vitor Silva Tavares, 1937-2015

NOTÍCIA | 21 set. 2015

Vitor Silva Tavares, filho da Madragoa, nascido a 17 de Julho de 1937, faleceu num hospital da sua cidade a 21 de Setembro de 2015.


Faleceu hoje, pela manhã, o homem que deu vida a várias gerações de poetas, ficcionistas, desenhadores, tipógrafos, etc. Com o homem, acaba um muito especial promontório da resistência intelectual e cívica neste país. A sua festa, trabalho e pão fica por aqui.


Mais conhecido como editor de livros e do periódico & etc, são de assinalar as suas fulgurantes passagens pela programação da editora Ulisseia, num curto período que se estende de finais de 1964 ao início de 1967, e pela direcção do suplemento literário do Diário de Lisboa, já no início dos anos 70. De permeio inventa, para encarte no Jornal do Fundão, o suplemento cultural & etc..., já na altura de cariz libertário, e experimental no sentido em que ali se ensaiaram algumas das regras básicas no jogo de iludir a censura.


Será também lembrado pela sua forte ligação à arte cinematográfica. O seu nome consta, por exemplo, no genérico de Uma Abelha na Chuva de Fernando Lopes, mas muito mais que um nome num rol de nomes, foi a sua intervenção substantiva no filme Festa, Trabalho e Pão em Grijó de Parada, atribuído a Manuel Costa e Silva.


Senhor de uma escrita truculenta, gémea da sua presença oral, Vitor Silva Tavares escondeu sempre este seu talento atrás do sentido da eficácia e da necessidade imediata de pôr os pontos nalguns ii. E por isso, nunca se viu a si mesmo como um escritor.

Paulo da Costa Domingos